Arquivo do blog

segunda-feira, 17 de dezembro de 2012

Mensalão: Entre Egos e Golpes, talvez uma verdade

Há tempos que desejo escrever esse texto. Os amigos me chegam constantemente com a pergunta: "ei, você é filiado ao PT, estudou Direito, o que pensa sobre o Mensalão?". Recorrente como: "você defenderia aquela cara que fez aquilo contra aquela pessoa?" ou "você defenderia bandido?", "defenderia um estuprador?". Ou seja, aquilo que todo estudante de Direito passa. Principalmente eu apaixonado como sou pelo Direito Penal.

Pois bem. Era o ano de 2005. Roberto Jefferson era herói. A Comissão Mista Parlamentar de Inquérito dos Correios virou "bio brother Brasil" quando tinha depoimento do mesmo. E lá estava eu na frente da T.V. Pensava comigo: "isso não pode ter ocorrido assim. Lula? Não, não é possível se enganar assim". Eis que Roberto Jefferson sai com a pérola: "Lula é inocente. Dirceu (diz olhando para as câmeras como bom ator que é. Advogado criminalista por sinal) saia daí que você está manchando a honra de um homem inocente!!!".

Pensei comigo: "Ufá. Meu ídolo político está salvo.". 7 (sete) anos se passam. Ano de eleição. 2012. Supremo Tribunal Federal começa o julgamento tão esperado. (Não entrarei nos últimos 'escândalos' envolvendo fitas que não existem etc porque temos mais o que ler e fazer.)

"As provas são fartas" - "Dormia a nossa pátria mãe tão distraída, sem perceber que era subtraída em tenebrosas transações", disse o Procurador-geral da República ao fim de sua denúncia resumida em 5 horas.

"Não tem provas!!!" - "tua piscina está cheia de ratos, tuas ideias não correspondem as fatos", dissera um advogado na Tribuna ao Procurador-geral da República.

Eu pensei: "meu Deus, que música cantarei quando em 2040 fizer uma sustentação oral por lá? 'Ai se eu te pego Excelência'? ".

Mas o julgamento tomou rumo. De um lado pensaram e pensam assim: Lewandowski e Tóffoli são petistas e defendem todos. O que é uma mentira. Tóffoli condenou Delúbio e Genuíno muito próximos a ele quando ainda era advogado do PT antes de 2003. Há 10 anos atrás portanto. Por que eu devo acreditar que Joaquim votou tudo pela consciência e Tóffoli não? (sei que argumentos vêm agora na sua mente, mas aguarde...).

Com isso, surgiu a outra vertente: "Quem condena é merecedor de elogios, está defendendo a nação, limpando o Brasil e é herói." E aqui se postavam os supra-partidários, os que se dizem verdadeiramente de esquerda e os juristas sedentos pela Justiça que há muito não vêem no seu dia a dia.

Tratou-se de um puro maniqueísmo igual ou pior ao que os partidários costumam fazer. A velha historinha de apontar tanto o dedo e ir lá fazer o mesmo que tanto critica.

O julgamento se bipolarizou entre os petralhas e os "homens justos querendo um julgamento justo", correto e que seguisse a leis. Leia-se: um julgamento que condenasse.

Vamos aos fatos: A ideia do esquema julgado era executar compra de votos na Câmara Federal, uma casa de 513 deputados. Quantos deputados estavam dentre os processados pelo esquema? Nem 20. Logo, dizer que o esquema realmente tinha como base a compra de voto é dizer uma ou outra coisa e parece que ninguém quer tocar nesse ponto: 1 - esses que foram julgados pegaram o dinheiro pra distribuir / 2 - Não há como ter tido compra de voto de tão poucos parlamentares de um universo de 513 para aprovar as reformas tributárias e da previdência.

Quanto ao ponto 1, pergunto: Então condenamos alguns sabendo que outros receberam? Salvo engano, o Deputado João Paulo Cunha foi condenado pela corrupção passiva no valor de R$ 50.000,00 reais, desse modo, iria ele dividir 50 mil reias?! Que propina é essa? Na minha terra se compra votos com cargos e não com dinheiro, mas passemos...dentre inúmeros outros argumentos que não são meu objetivo aqui.

Quanto ao ponto 2: o histórico das votações indicam que a oposição (PSDB/DEM) votou COM o governo e não contra. Precisou-se mesmo correr atrás de voto?

Estou dizendo isso porque não aceito outra ideia se não o CRIME DE CAIXA 2. Assumido, inclusive, pelo PT em nota oficial. "Ah, diz isso porque estaria prescrito". E daí? Vamos afastar prescrição para condenar agora?! Estamos em um regime de exceção ou democrático de direito? Deve ou não o STF seguir a Constituição? "Não somos obrigados a seguir a constituição", disse Joaquim Barbosa. Ato falho? Arrogância?

Quando votada esse item, lembro-me bem, porque assisti boa partes das sessões que o Min. Relator Joaquim dissera: "as datas (entre as votações e depósitos) mais ou menos batem...". Mais ou menos. Estou querendo levantar a dúvida, nada mais. Leia até o fim, sem ódio da minha cara...

Quem queria a 'justiça' de qualquer jeito a isso se ateve. Mas meus companheiros petistas se amarraram no "golpe". E para o espanto: nunca concordei com isso. Creio que confundimos golpe com ego. Ego do Relator. Ego do Tribunal. Alterego até, por que não?!

Creio sim que '''todos''' os ministros votaram pela consiência e não por mandamento social ou obscuridades políticas. E chego a essa conclusão por um simples e importantíssimo motivo: Quem indicou/nomeou Joaquim Barbosa? Ayres Britto?  César Peluso? Carmém Lúcia? LULA!!! E todos esses, por exemplo, votaram pela condenação de Dirceu.

Quem indicou Rosa Weber? Luiz Fux? DILMA!!! Estes dois votaram pela condenação de Dirceu à título exemplificativo novamente.

Quem indicou Celso de Melo? Sarney. Marco Aurélio? Collor. Gilmar Mendes? FHC. Todos esses também condenaram Dirceu.

Quem indicou Lewandowski? Tóffoli? LULA!!! E estes foram os únicos que votaram pela absolvição de Dirceu. Entenderam por que lá em cima perguntei por que eu devo acreditar que Joaquim votou tudo pela consciência e Tóffoli não?

Percebem a lógica? Ou melhor, a total ausência dela?

Carece de lógica o papo de Lewandowski e Tóffoli serem petistas e os outros não como os supra-partidários dizem ou a oposição . Assim como carece de lógica o que meus companheiros petistas dizem: Joaquim é golpista.

Nesse mesmo sentido, necessário lembrar que Joaquim declarou, em entrevista, ainda na constância do julgamento que votara em Lula nas duas eleições de 2002 e 2006 e em Dilma em 2010. Vejam que é complicado configurar o 'golpe' por esse ponto.

E vou além, quando nós petistas ou simpatizantes etc entramos nesse raciocínio de golpe, carrasco Joaquim, traidor etc, estamos exatamente fazendo o jogo midiático. Mordendo a isca. Porque quem diz isso terá que explicar o porquê da indicação de Lula ao STF do Ministro Joaquim Barbosa.

Digo mais, Joaquim foi meu ídolo quando falou o que a nação inteira queria dizer a Gilmar Mendes naqueles episódios das brigas dos dois e agora virou carrasco? Peço vênia aos principais blogueiros do país, peço vênia aos meus companheiros de partido em sua maioria, mas divirjo.

Nesse mesmo sentido Joaquim Barbosa, Ayres Britto,  César Peluso, Carmém Lúcia, Fux e Weber são golpistas? Lula só indicou "traíra" para o STF? Reflitam senhores, pé no chão...Estamos dizendo nas entrelinhas com esse discurso de traição que Lula é demente. Coisa que nunca foi.

Outra questão: antes do julgamento a mídia inventou uma história de Lula pedir intervenção a Gilmar Mendes para livrar "companheiros da prisão". Senhores, Lula/Dilma tinham indicado à época dos 11, 8 ministros. Dentre os 8, Gilmar Mendes não estava entre eles e Lula foi pedir logo a ele? Mais uma ausência de lógica gritante. Lula, Dilma e o PT não escolheram os ministros pensando em interferir no julgamento, a maioria dos 8 (que 2 já se aposentaram no curso do processo. César e Ayres) foram indicados de 2005 para cá, ou seja, o escândalo já tinha ocorrido.

Lula foi correto (ou burro demais, como queiram) até na escolha precisa e técnica e cortou de morte na própria carne com isso. Engula isso. É um fato histórico que todos vimos na nossa frente. Os ministros do PT (por mais absurdo que isso seja, porque quem escolhe é o Governo Federal e não o PT) votaram contra o PT!!!

E agora faço um desagravo ao partido: que partido bandido é esse que libera a Polícia Federal para investigar tudo e a todos? Que partido é esse que não usou o STF desde 2005 para blindar os seus ?! Que partido bandido é esse que cria a lei da transparência e dá munição à imprensa legitimamente fazer seu papel investigativo? Quero respostas. Aguardo.

Falo isso para também dizer que o STF é sim passível de crítica, o PT deve, eu devo, você deve sim criticar, porque a liberdade de expressão é a própria expressão da liberdade, como bem disse o Min. Ayres.

No entanto, é necessário parcimônia. Meus companheiros de partido, de blogosfera vociferam contra o STF, mas esse mesmo STF liberou a marcha da maconha, o uso das células-tronco, a união estável homoafetiva equiparada, deu as terras da Raposa do Sol a quem de direito dentre tantos outros julgados progressistas.

E você já pensa: "o acerto não justifica o erro atual". Não estou dizendo isso, estou dizendo que a lógica "STF Golpista" é seletiva e não pode ser assim. Assim caímos no maniqueísmo "deles".

Antes de encerrar, deixarei uma marca pessoal. Não estou defendendo o STF e criticado José Dirceu por exemplo. Esse país deve a muitos homens e um deles é Dirceu se ele efetivamente errou agora, se não sabia ou foi outro ato, talvez nunca saibamos ou nunca fará diferença após uma condenação pela Suprema Corte. Mas foi difícil sim ver isso acontecer. Sem ser piegas, até dói, mas não é todo mundo que entenderá/sentirá isso.

Minha intenção não era dar uma resposta sobre a Ação Penal 470 por completo. É impossível. Talvez estejamos errados. Talvez o STF esteja errado. E falando assim, começo a imaginar qual música cantarei em 2040 na minha sustenção oral:

"Tempo, tempo, tempo, és um senhor tão bonito..."

Ps.: Lembra de Jefferson dizendo que Lula era inocente em 2005 quando podia ali, ter derrubado o presidente? Lembra que esse ano seu advogado na Tribuna do STF disse que Lula deveria estar entre os réus, mudando COMPLETAMENTE o depoimento de seu cliente? A intenção realmente fora uma: derrubar Dirceu...

quinta-feira, 13 de dezembro de 2012

Entre Paulo Coelho e o Carnatal: A Feliz Imbecilidade

Qual o problema em ser imbecil?

Qual o problema em ser careta?

A imbecilidade do título está na imbecilidade do careta que critica cegamente o carnatal ou festas congêneres e na imbecilidade do imbecil que a defende como se fosse a salvação do turismo, renda, economia pós-crise de 2008.

Vou me ater a esses pontos, porque discutir o local da festa, os gastos públicos no privado, horário da festa etc, entendo ser UNANIMIDADE pela decência humana na NECESSIDADE de discussão e remodelação do sistema da festa. Mas é outra discussão.

Vivo no meio de gente culta, ou que se diz, vivo no meio de gente de esquerda, ou que se diz, vivo no meio de gente que se acha superior culturalmente por ser culta e de esquerda, ou que assim se vê como verdade absoluta.

E sempre me vi assim: tentando não ser 8, nem ser 80. Foi difícil. 2º ano do ensino médio me vi parando uma aula, de redação textual, por mais de 1 hora porque o professor desrespeitava quem lia Paulo Coelho e o próprio autor. Argumento dele: "é um bruxo (?), macumbeiro (?)...baixa qualidade (!)" (Isso me lembra que certa vez falando diretamente com Paulo Coelho, ele me respondeu: "boa sacada essa sua de dizer que essa história de bruxo é marketing meu. Mas não é bem assim". Mas não completou o raciocínio). E eu retruquei o professor: "Paulo Coelho é uma desgraça literária mesmo ou é por que sempre atacamos quem vende muito? Quantidade SEMPRE será sinônimo de falta de qualidade? Olha, Bill Clinton adora ler Paulo Coelho". Ele retrucou e ai percebi que deveria encerrar o papo: "Clinton? Aquele adúltero?"

Fiz essa digressão porque não vejo muita diferença hoje dos "moralmente e culturalmente superiores" ao não só atacar quem ao Carnatal foi ou a própria festa (retirando as questões políticas claro!)

Ora, em 2006 e 2007, principalmente, quando veraneava (e ainda o faço) em Pirangi (praia de playboy e gente metida a rica, inteligente, culta e moralmente superior a qualquer um de modo geral), eu nunca me neguei a largar Dom Casmurro, Memórias Póstumas de Brás Cubas, Escreva Isaura, Iracema ou de ler a Trilogia Tebana por exemplo para "segurar na corda do caranguejo pra lá e pra cá" com Babado Novo.

Eu me sentia deslocado às vezes com tanta "bomba" nos braços dos meninos e tanto "pó" na cara das meninas, mas estava ali para dançar, divertir-se etc (na época não bebia álcool) E SÓ!

Cultura etc eu tinha em outro lugar. "Ah, mas é bom dançar etc com uma música de qualidade". Caro, é TAMBÉM bom. Afora isso, é preconceito social, e por que não dizer cultural!? Sim! Cultura não é só aquilo que A GENTE gosta, é aquilo que o POVO gosta também.

Quando falei da "esquerda" lá em cima, não foi desproposital. É tenho visto pessoas próximas com esse tipo de discurso. Senhores, esse tipo de discurso é discurso da DIREITA, se assim dividirmos a questão aqui. É o discurso de quem chama os programas sociais de esmola; que diz que os aeroportos estão ruins porque pobre agora voa; que reclama de engarrafamento porque pobre agora tem carro; que critica as cotas porque tem nojo de pobre e negro na carteira da sala de aula ao seu lado.

Quem irá me criticar por esse texto, nesse momento pensa: "sim, mas quem faz uso desse discurso é exatamente o povinho que esse '''tipo''' de festinha frequenta". Sim, em sua maioria é! Mas o erro dele, não pode servir de justificativa para o seu erro arrogante.

"Voltando à digressão", um certo conhecido ainda dos tempos da escola, que não presenciou, mas ficou sabendo desse debate acadêmico com o professor sobre Paulo Coelho, veio querer reiterar o discurso mesquinho do professor. À época o professor já era, evidentemente, formado em Letras Português. Esse meu amigo hoje está prestes a se formar no mesmo curso e me contou história interessante.

Disse-me que certa vez em um congresso ao pedir a palavra trilhou o caminho da crítica a Paulo Coelho pela baixa qualidade literária (que eu aqui não nego, mas eu estou falando de outra coisa, de outro modo, de outra visão. Estou falando da NECESSIDADE de coexistência com o que você gosta e o que você não gosta) e assim o fez por minutos com os olhos atentos de uma professora.

Terminada sua fala, essa professora pegou o microfone e disse: "meu jovem, minha pós-graduação foi sobre gibis, quadrinhos etc e você vem me falar em qualidade literária? Qualidade de que e para quem?" Eu entendo, e peço vênia a quem é da área, que é um elitismo literário e não uma qualidade literário em discussão.

Falo isso porque eu tive, já no ensino superior, o melhor professor de produção textual que esse país já viu: Professor Palhano. Culto só ele. Baixo só ele. Homem só ele. Puto só ele. Livre dos domínios sexuais da sociedade só ele. Íntegro só ele. E sua frase me martela sempre na cabeça: "queridos, a aula terminou, porque hoje eu vou do luxo ao lixo".

Faça o mesmo um dia. 





Denúncia: Serra do Mel. Mas de política nada "mel".



(Texto recebido da colega, ativista e blogueira Adriana Amorim.)

A população de Serra do Mel, localizada a cerca de 40 km de Mossoró-RN, prepara um grande ato público nesta sexta-feira, 14 de dezembro, na praça Governador Cortez Pereira, vila Brasília, centro da cidade. O ato servirá para denunciar as manobras políticas e judiciais que tentam impedir a posse do prefeito eleito no município, o sindicalista Manoel Cândido da Costa, do Partido dos Trabalhadores (PT). Também estão sendo recolhidas assinaturas em uma nota de repúdio contra a Justiça Eleitoral potiguar, que, mesmo existindo um processo em tramitação que discute a legalidade da vitória petista, já anunciou que dará posse à candidata derrotada Irmã Lúcia do PMDB. Como forma de intensificar o debate, Um twitaço ocorrerá neste sábado, 15, a partir das 15h, com a hashtag #SOS_SerradoMel.
Candidato pela quarta vez, o sindicalista Manoel Cândido obteve êxito após derrotar a candidata situacionista apoiada pelo atual prefeito Josivan Bibiano de Azevedo (PSDB), acusado de chefiar um grupo de pistoleiros com atuação na região e de mandar matar o jornalista, blogueiro e presidente municipal do PT Edinaldo Filgueira, crime ocorrido na sede do seu jornal no dia 15 de junho de 2011. Ainda durante a campanha o candidato petista passou a enfrentar um processo de inelegibilidade por conta da apresentação fora do prazo de uma prestação de contas de sua campanha a deputado estadual em 2010.
Mesmo patrocinada pela governadora Rosalba Ciarlini (líder político da região de Mossoró), pelo deputado Henrique Alves e o ministro Garibaldi Alves Filho, a candidata peemedebista foi vencida, porém, se recusa a reconhecer a derrota e articulou seus padrinhos políticos para usurpar o mandato de prefeito do legítimo ganhador.


Judiciário sob suspeita

Nos últimos dias o judiciário potiguar tem sido vítimas de sérias denúncias, uma delas envolvendo dois desembargadores ex-presidentes do Tribunal de Justiça acusados de venda de sentenças e desvios de cerca de R$ 20 milhões de precatórios. Os acusados são os desembargadores Osvaldo Cruz e Rafael Godeiro, que aguardam o fim das investigações afastados do tribunal e devem perder suas funções. No dia 24 de setembro deste ano, o Presidente do TRE, João Batista Rebouças, recebeu em sua casa o desembargador investigado Osvaldo Cruz, fato que só veio a público porque os dois acabaram sendo vítima de um assalto no local do encontro. 
Hoje, sabe-se que o presidente do TRE-RN tem duas filhas que atuam como advogadas da candidata Imã Lúcia (PMDB), entretanto, o mesmo não declarou-se impedido de julgar o processo no TRE, pelo contrário, atuou ativamente para fazer vitoriosa a tese da peemedebistas.



Curral eleitoral

No Rio Grande do Norte, o PMDB é liderado pelo deputado Federal Henrique Eduardo Alves, herdeiro do clã Alves, do qual faz parte o ministro Garibaldi Alves Filho, seu pai o senador licenciado Garibaldi Alves, o filho de Garibaldi Filho, deputado estadual Walter Alves e o vereador por Natal Felipe Alves (4ª geração Alves). Também podem ser incluídos nessa cota o prefeito de Natal, Carlos Eduardo Alves, e seu pai o deputado estadual Agnelo Alves, primo e tio de Henrique, respectivamente, atualmente dissidentes. Henrique é herdeiro de um império de comunicação no estado que incluem jornais, rádios e o maior canal de televisão, filiada à Rede Globo. 
Como a família Marinho, os Alves construíram seu império durante a ditadura militar e utilizam as concessões públicas de radiodifusão, televisão e jornais como instrumento de dominação política e manipulação das informações para se perpetuarem no poder.
Da base de apoio da presidente Dilma, onde atua como líder de governo no Congresso Nacional, Henrique Alves sabe transitar inescrupulosamente entre a extrema direita e a esquerda, no mesmo contexto político. Assim, ao tempo em que é aliado privilegiado no governo petista central, também foi decisivo para a eleição e sustentação política da única governadora do DEM no país, governo que tem reprovação de 82% da população. Também, junto com o ministro Garibaldi Alves, devolveram ao senado uma das raposas velhas da política do estado: o senador José Agripino.


Manipulação e tráfico de influência


Cotado para presidir a Câmara dos deputados, nos últimos dias Henrique Alves tem sido alvo de denúncias de uma suposta atuação junto ao TSE para entregar à sua aliada local, pela via judicial, o mandato perdido nas urnas. 
A atuação do parlamentar no Tribunal Superior Eleitoral seria por meio da relatora do processo contra Manoel Cândido (PT), a ministra Luciana Lóssio, segundo o BlogdaDilma, Luciana Lóssio é prima do prefeito de Petrolina-PE, Júlio Lóssio do PMDB e integrante do grupo político de Henrique. Na condução do processo a ministra reconheceu a admissibilidade do mesmo mas não o submeteu ao plenário, mantendo-o sempre em decisão monocrática, sem qualquer relatório, no popular bloco, negando ao advogado de Manoel Cândido o direito da exposição oral em defesa de seu cliente e sempre tomando decisões desfavoráveis ao petista.


FONTE:
Prefeito eleito no município, Manoel Cândido da Costa, do Partido dos Trabalhadores (PT) -

terça-feira, 11 de dezembro de 2012

PT - Nota Oficial


"A Direção Nacional do PT lamenta o espaço dado pela imprensa para as supostas denúncias assacadas pelo empresário Marcos Valério contra o partido e contra o ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva. Caso essas declarações efetivamente tenham sido feitas em uma tentativa de “delação premiada”, deveriam ser tratadas com a cautela que se exige nesse tipo de caso. Infelizmente, isso não aconteceu.

As supostas afirmações desse senhor ao Ministério Público Federal, vazadas de modo inexplicável por quem teria a responsabilidade legal de resguardá-las, refletem apenas uma tentativa desesperada de tentar diminuir a pena de prisão que Valério recebeu do STF.

Trata-se de uma sucessão de mentiras envelhecidas, todas elas já claramente desmentidas. É lamentável que denúncias sem nenhuma base na realid
ade sejam tratadas com seriedade. Valério ataca pessoas honradas e cria situações que nunca existiram, pondo-se a serviço do processo de criminalização movido por setores da mídia e do Ministério Público contra o PT e seus dirigentes.

Prestes a completar 10 anos à frente do Governo Federal, período em que o Brasil viveu um processo de desenvolvimento histórico e em que as classes populares passaram pela primeira vez a ter protagonismo no nosso país, o PT é alvo constante de setores da sociedade que perderam privilégios.

A campanha difamatória que estamos sofrendo nos últimos meses não impediu nossa vitória nas eleições de outubro e nem conseguirá manchar o trabalho que nosso partido tem realizado em defesa do país, da democracia e, principalmente, da população mais pobre."

Rui Falcão
Presidente Nacional do Partido dos Trabalhadores

domingo, 9 de dezembro de 2012

Ontem no aeroporto...

...Estava eu aguardando um amigo desembarcar no Aeroporto INTERNACIONAL Augusto Severo e eis que um homem enquanto eu passava me aborda e de imediato identifiquei que falava em inglês. Perguntava se eu sabia a distância para Macau, assim respondi. Quando percebeu que alguém, por fim, entendia-o, perguntou onde poderia acessar o e-mail dele para verificar nome e endereço do hotel em Natal. Só iria para Macau no outro dia.

Disse a ele que talvez em alguma cabine das lojas que vendem pacotes de turismo ou alugam carros tivesse. Ele respondeu: "they don´t understand me" (eles não me entendem). Fui em todas e expliquei que ele não falava português e precisava verificar e-mail etc. Todas negaram por apenas terem acesso ao sistema.

Fui ao balcão de informações da INFRAERO: "só ao sistema". Fui com ele no primeiro andar, onde ao lado da livraria existia uma "lan house". Fechada. Tinha se mudado para o térreo. Desci. Fechada, fora do horário de funcionamento. Por certo o aeroporto de madrugada fechasse e naquele dia fosse exceção de estar aberto, não é?!

E ele me dizia: "Tell them I can pay" (avise que posso pagar pelo serviço)

Para resolver, já que meu celular não dava acesso ao mundo digital e meu tablet comigo não estava, encontrei-me com quem fui buscar e por sorte o tablet dele estava conectado.

Pois bem, meu "novo amigo" nigeriano conseguiu acessar a internet e verificar endereço e hotel, ainda me pediu pra traduzir outro e-mail que estava em português. Entreguei endereço ao taxista e tudo resolvido.

Não costumo reiterar essas frases de bocós, mas agora merece: esse é o país da copa.